sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Desktop personalizado: Velozes e Furiosos

. sexta-feira, 28 de agosto de 2009
0 comentários

Por Felipe Gugelmin
Tune o visual do seu computador, deixando-o parecido com um dos carrões da série Velozes e Furiosos.
Lançado em 2001, o primeiro filme da série Velozes e Furiosos foi responsável por uma verdadeira explosão do tuning no Brasil. Contando a história de Brian O’Conner, um policial novato que se infiltra no mundo das corridas ilegais em Los Angeles, o filme apresenta uma série de carros impressionantes, todos eles com aparência e performance modificadas.
Embora o objetivo principal de Brian seja investigar roubos de caminhões nas estradas próximas à cidade, ele logo se vê envolvido de tal maneira no mundo das corridas que acaba se esquecendo de seu objetivo principal. Essa é a história do primeiro capítulo da série, que reúne até agora quatro filmes de grande sucesso, com a presença de astros como Vin Diesel, Paul Walker e o rapper Ja Rule.
O que é tuning?
O tuning tem origem na palavra inglesa tune, que significa ajustar ou afinar determinado objeto. E é justamente este o objetivo do tuning, ajustar tanto a aparência quanto o desempenho de um veículo até obter o “tom” certo, quase como se fosse um instrumento musical que precisasse de afinação. O objetivo não é somente dar uma aparência mais bonita ao carro, mas também aumentar performance e segurança, tornando-o diferente e único.
O tuning pode ser aplicado em diversos componentes do carro, sejam eles rodas, pneus, alterações no motor e carroceria e até mesmo em sistemas de som extremamente potentes. Esta arte engloba desde modificações simples, como utilizar janelas com cores diferentes e neons embaixo do veículo, até outras extremamente caras, como na utilização de sistemas de refrigeração avançados e troca total de componentes como o motor e escapamento do carro.
Tunando sua Área de Trabalho
Inspirados pelo sucesso do filme, a Equipe Baixaki decidiu ensinar um jeito de deixar a área de trabalho do computador com um visual totalmente reformulado, como se tivesse passado por um processo de tuning. Portanto prepare as luzes de neon em seu gabinete e ligue seu sistema de som no máximo, pois depois destes passos seu computador já poderá fazer parte de uma exposição de estilo.
A primeira etapa: um tema esportivo
É muito difícil encontrar temas para o Windows que sejam inspirados diretamente em algum filme ou assunto específico. Mas não se preocupe, encontramos um tema perfeito que dá a impressão de uma área de trabalho tunada, com a utilização de luzes em neon e detalhes em fibra de carbono: seu nome é Azenis 2.
O tema é específico para Windows XP, e possui um processo de instalação bastante simples. Basta colocar o conteúdo do arquivo ZIP baixado dentro da pasta “C:\Windows\Resources\Themes”. Em seguida, clique duas vezes no arquivo “Azenis2.theme” e selecione a opção Aplicar para observar as mudanças em sua Área de Trabalho.
Como o Windows XP não permite a aplicação de temas caso a “Uxtheme.dll” não esteja modificada, é recomendado que você utilize antes o UxTheme Multi-Patcher antes de tentar instalar o Azenis 2. Confira abaixo como vai ficar a cara do computador após a instalação do novo tema.
Modificando a pintura: papéis de parede
Como o tema é o filme Velozes e Furiosos, nada mais justo do que disponibilizar o download de imagens inspiradas nos personagens mais famosos da série. Indicamos quatro papéis de parede, cada um com um ator diferente. Entre as opções disponíveis estão Vin Diesel, Paul Walker, Jordana Brewster e Michelle Rodriguez.


Fonte: As imagens acima são propriedade da Universal Studios
Caso você queira um visual mais dedicado ao tuning e veículos em si, o Baixaki disponibiliza uma série de papéis de parede com o tema carros. Então se sinta à vontade para escolher uma imagem qualquer de sua escolha como pano de fundo para seu computador. Abaixo algumas sugestões de papéis de parede podem ser encontrados no site, todos eles enviados por nossos usuários.


Adicionando acessórios: ícones para a Área de Trabalho
Nenhum desktop personalizado pode ficar completo se os ícones utilizados não acompanham o tema proposto. Aqui no Baixaki temos uma série de pacotes de ícones inspirados em carros, mas o que mais se ajustou aos objetivos propostos foi o Racing Cars Icons.
São 27 ícones em alta resolução, nas extensões ICO e PNG, com diversos tipos de carros estilosos para enfeitar a sua Área de Trabalho. Entre os modelos presentes, estão o Dodge Viper, Ford GT, Ford Mustang, Ford Puma, Hyundai Coupe, Bugatti Veyron, Porsche, Ferrari, Lamborghini, Pagani Zonda, Aston Martin, Lexus e Subaru. Para instalar novos ícones, é só seguir alguns passos bastante simples:
1) Descompacte o arquivo ZIP do Racing Cars Icons em um pasta qualquer do computador.
2) Clique com o botão de contexto do mouse (normalmente o direito) em um local qualquer da Área de Trabalho e escolha a opção “Propriedades”.
3) Selecione a aba Área de Trabalho.
4) Localize e clique no botão “Personalizar a área de trabalho”.
5) Agora simplesmente selecione qual ícone deseja modificar e clique em “Alterar ícone...”. Na janela que abrir, localize a pasta onde estão os ícones de carros.
6) Escolhida a imagem que deve ser utilizada, clique em “Aplicar” e feche as janelas.
Ajustando a suspensão: protetores de tela
Para deixar o computador mais bonito, mesmo nos momentos em que não está sendo utilizado, nada melhor do que um belo protetor de tela. Infelizmente, não existe nenhum relacionado ao filme em si, portanto optamos por utilizar um baseado no jogo Midnight Club: Los Angeles. Isso não representa uma perda de qualidade ou fuga do tema proposto, pois o jogo é totalmente focado na cultura do tuning, permitindo que você modifique todos os aspectos do veículo escolhido.
Aqui no Baixaki também temos a proteção baseada no terceiro jogo da série, Midnight Club 3.Caso tenha dúvidas entre qual baixar, teste ambos e veja qual é o mais adequado a suas preferências pessoais.
Colando adesivos: skins para Winamp e AIMP
O Winamp e o AIMP são dois ótimos players de música, e estão entre os programas mais baixados do Baixaki. Portanto, não seria possível deixar de fora algumas das opções de personalização disponíveis para estes programas.
Neste caso, o Winamp leva a vantagem, por possuir o tema oficial do quarto filme da série Velozes e Furiosos. A skin utilizada tem o formato de um carro com o capô aberto, e uma animação de entrada bastante estilosa: vindo do fundo da tela, um carro se aproxima do monitor do computador, abrindo o capô para exibir uma caixa de som repleta de opções.
Para o AIMP, a opção disponível é o AIMP CarRadio Skin, que deixa o programa com a aparência idêntica a de um rádio instalado em um carro. Tanto os botões quanto o painel de exibição são modificados, dando a sensação de estar sentado em frente a um volante enquanto se escutar diferentes músicas.
Instalando o neon: ícones para o AIM e o MSN
Que tal trazer os personagens do filme para suas conversas no AIM? O site oficial disponibiliza diversas imagens animadas no formato GIF, que podem ser utilizados para substituir o ícone do mensageiro instantâneo.

Fonte: As imagens acima são propriedade da Universal Studios
Para instalar, basta clicar com o botão direito em cima da imagem desejada e salvá-la no disco rígido do computador. Em seguida, basta ir até a janela de preferências do AIM e selecionar o ícone que deseja utilizar.
Calibrando os pneus: jogos que levam o tuning a sério
O sucesso dos filmes da série Velozes e Furiosos inspirou diversas franquias a investir no sistema de tuning, possibilitando que o jogador controle aspectos como a aparência e o desempenho dos carros utilizados. Os jogos de maior sucesso são aqueles pertencentes à série Need For Speed, com destaque para as máquinas velozes e o clima de clandestinidade presente em cada uma das corridas.
Infelizmente, são poucas as opções de jogos inspirados diretamente nos filmes. Porém, os fãs não precisam ficar tristes. Quem acessa o site oficial do último capítulo da série pode jogar um jogo bastante simples e divertido, em que o objetivo é chegar inteiro ao fim da corrida, garantindo que os adversários tenham sido eliminados. Para acessar, basta clicar neste link.
Testando os freios: Windows Vista
É importante avisar que as mudanças realizadas foram todas feitas em um computador com o Windows XP instalado. Como o Windows Vista possui algumas limitações, não será possível utilizar o Azenis 2 como uma alternativa de tema substituto. Porém, todas as outras sugestões deste artigo podem ser seguidas sem nenhum problema, embora o método de instalação possa variar um pouco.

Read More »»

Quais as diferenças entre áudio 2.0, 2.1, 5.1 e 7.1?

.
0 comentários

Por Willian Fonseca
Os números referem-se aos canais que distribuem o som, e a intenção é tornar a experiência em filmes cada vez mais realista.
Ao comprar um aparelho de som ou home theater, muitas vezes nos deparamos com alguns números estranhos, como 2.0, 5.1 e agora até mesmo o 7.1. Você sabe o que esses valores significam e os motivos pelos quais são atribuídos aos aparelhos?
Neste artigo vamos explicar um pouco mais sobre os canais que compõem um sistema de som comum ou um home theater, e o que cada um dos valores mencionados influencia no geral, além de indicações sobre qual deles comprar dependendo do perfil de usuário em que você se enquadra.
Mono, estéreo e canais de áudio
A definição mais básica para canais de áudio são fontes sonoras independentes em um mesmo sistema. O padrão monofônico, abreviado para mono, contava com apenas um canal, embora fosse possível ter diversas caixas atuando nele. O grande problema é que todas elas emitiam exatamente as mesmas frequências.
Com a chegada do sistema estéreo, a percepção sonora em músicas e filmes mudou drasticamente. A partir desse momento, era possível dividir os diferentes sons pelas caixas, tornando a experiência mais próxima do que presenciamos em nossa realidade.
2.0, 2.1, 5.1, 7.1?
Se você não sabe muito bem o que esses números dizem, não se preocupe, é bem mais simples do que parece. O número que fica à esquerda do ponto descreve quantos falantes comuns o sistema possui. O melhor exemplo disso são os aparelhos de som comuns para ouvir música, como os microsystems, que utilizam dois canais distintos de áudio.
Já o algarismo à direita do ponto descreve o número de subwoofers presentes, que são caixas de som especialmente desenvolvidas para a reprodução de frequências muito baixas, os famosos graves. Este tipo de caixa sempre foi muito conhecido por quem lida com equipamento de som automotivo.
Em um home theater 5.1, por exemplo, temos então 5 canais para caixas de som comuns, que geram sons médios e agudos, além de um subwoofer para os graves. A mesma nomenclatura é aplicada ao 7.1, padrão que começará a se popularizar com a entrada dos leitores de Blu-ray no mercado. O vídeo abaixo mostra um pouco dessa evolução, desde a invenção dos primeiros televisores.
E para que servem tantas caixas de som?
Outra dúvida muito comum dos usuários é a real função de um sistema mais completo de som, como o 5.1. Antes de explicar como ele funciona, dê uma olhada na imagem abaixo, que mostra a disposição das caixas em uma sala.
Você pode conferir que há uma caixa frontal no centro dela e mais duas frontais ao lado. Também há mais outras duas na parte de trás da sala, fechando o sistema como se fosse um quadrado. O subwoofer também fica ao centro e comanda todos os sons graves do sistema.
Realidade sonora
O grande objetivo da disposição das caixas dessa forma é proporcionar um ambiente sonoro mais realista ao assistir a um filme. Quando um helicóptero atravessa o céu, por exemplo, é possível perceber a sua trajetória, passando pelas caixas de trás e indo até a frente do sistema, de um modo que já conhecemos há algum tempo nos cinemas. Mesmo se você estivesse de olhos fechados durante a cena, saberia de onde ele veio e para onde foi.
Outro exemplo interessante é em filmes de guerra, como as batalhas medievais repletas de gritos e golpes para todos os lados. Em um sistema 5.1, o espectador fica envolvido no combate, percebendo os sons que vêm de diferentes direções dentro dele, o que torna a experiência do filme ainda mais agradável.
7.1 e o Blu-ray
Com a chegada do novo tipo de mídia ao mercado, os filmes em Blu-ray agora são capazes de reproduzir tudo o que acontece em sete canais distintos. Vale lembrar que você precisa de um aparelho compatível com o sistema 7.1 para instalá-lo corretamente, não adianta nada comprar um home theater maior do que suas possibilidades de reprodução.
Além disso, é necessário ter um ambiente realmente muito grande parar aproveitar bem o sistema 7.1. Se você não tem uma sala enorme, é preferível manter o padrão 5.1 para os seus filmes, o que, além de mais barato, propiciará um resultado geral melhor ainda.
A evolução não para!
Se você acha que esses padrões já são o que temos de melhor em questão de qualidade sonora, conheça o nosso artigo sobre o Super Hi-Vision, um novo sistema que promete revolucionar o que conhecemos em áudio e vídeo. Nele, o padrão adotado até agora é de 22.2, ou seja, 24 falantes atuando em um único sistema.
O fato é que o entretenimento visual e sonoro sempre foi um dos pontos mais bem explorados pela tecnologia.

Read More »»

Som de qualidade, Guerra de SOM!!!

.
0 comentários

Por Camila Porto de Camargo

Parece que a indústria fonográfica não engoliu o avanço do MP3 sobre o CD, e as quatro maiores gravadoras do mundo vão contra-atacar com uma nova proposta de venda de música digital. Está dada a largada para a nova guerra da música.
E a batalha continua. As notícias a respeito de um novo formato de áudio digital que será lançado em breve colocaram mais lenha na fogueira das brigas entre serviços e usuários de programas para download de músicas, artistas e indústria fonográfica. Sony, Warner, Universal e EMI resolveram unir forças e combater o avanço do compartilhamento indiscriminado de áudio pela Internet. A proposta das grandes gravadoras é lançar um novo formato chamado CMX, perto do mês de novembro. Este formato deixa de ser apenas mais um no conturbado mundo da música, onde o MP3, WAV, ACC, OGG e muito mais brigam entre si na preferência do ouvinte. A nova proposta do formato CMX é ir além de apenas faixas de áudio, mas trazer em um arquivo com a música, no caso dez faixas, a capa do disco, clipes, letras e conteúdo para celular em um só download. Resumindo, é uma nova tática para tentar agregar valor à música digital.
Além da briga com o MP3, o CMX já está gerando polêmica, pois de acordo com os desenvolvedores do projeto, ele teria sido apresentado há dois anos à Apple, que na época rejeitou a oferta. Contudo, a Apple anunciou recentemente que irá lançar o Cocktail, mais uma forma de venda de conteúdo pelo iTunes. Como ambos não foram lançados e as informações relativas aos formatos ainda não são oficiais, não é possível saber as diferenças entre CMX e Cocktail e, até mesmo, se haverá alguma.
Ninguém duvida que a Apple é uma das dominantes no campo da música digital. Desde o lançamento dos iPods, a empresa de Steve Jobs se tornou referência no quesito players de áudio, assim como chiclete se tornou sinônimo de goma de mascar e cotonete de hastes flexíveis, basta falar em tocador de música digital que o iPod vem à mente, mesmo que o player seja de outra marca. Por isso, uma das dúvidas acerca do CMX é se ele será compatível com o iTunes, afinal a loja da Apple é referência no quesito de compra e venda de música digital. Os desenvolvedores do CMX, provavelmente, vão levar em consideração os dados conquistados pela Apple, onde estima-se que mais de 200 milhões de iPods já foram vendidos desde o seu lançamento em 2001, isso, sem contar os iPhones.

Se as grandes gravadoras desejam inserir mais um produto no acirrado mercado musical, precisam escolher muito bem em quais álbuns investir. Por isso, especula-se que os primeiros a terem as faixas disponíveis em CMX serão os irlandeses do U2. Obviamente, para dar o ponta-pé nas vendas, é necessário ter um representante de peso como a banda irlandesa que além de estar no ranking dos 100 discos mais vendidos da história, com The Joshua Tree, ainda agita multidões pelo mundo.
Com a data da morte do CD se aproximando, assim como foi com o vinil e K7, a indústria fonográfica não pode ser dar ao luxo de ver sua mercadoria espalhada em programas P2P ou compartilhada de forma ilegal, afinal interesses e muito dinheiro estão em jogo. O CMX pode ser a luz no fim do túnel para as grandes, pois é uma tentativa de agregar valor ao conteúdo digital e tentar construir a cultura do “pague pelos direitos autorais e leve mais que a música”, assim como era com o CD.
A receita não é nova, pois o iTunes conseguiu se tornar a maior varejista de música dos EUA, de acordo com a pesquisa do NPD Group. Isso mostra que as pessoas estão dispostas a comprar música pela Internet, ainda mais que os riscos provenientes do download de vírus em programas P2P é constante. Tentando recuperar o tempo perdido, gravadoras e artistas buscam uma solução para combater o crescimento de seus inimigos e retomar o posto de únicas fontes de música. Será que o CMX não é mais uma tentativa de vender mais do que o consumidor quer? Afinal, na era do CD, você tinha que comprar o disco todo para ouvir algumas faixas. Hoje, é possível escolher o que quer ouvir e pagar (ou não) apenas pelo o que você quer.

Read More »»

O que é RFoG?

.
0 comentários

Por Douglas Ciriaco
Conheça a solução da Motorola que permite transmissão de vídeo via fibra ótica, sem protocolos IP e a preços mais acessíveis.
O modo como são as transmissões de televisão a cabo hoje em dia estão prestes a mudar. Bem, isso pelo menos no que depender da Motorola, que divulgou recentemente uma nova tecnologia para a transmissão de vídeos via fibra ótica, sem a necessidade de protocolos de internet e a preços mais acessíveis dos disponíveis atualmente.
Respondendo à pergunta...
Esta tecnologia é a solução de radiofrequência sobre vidro ou RFoG, acrônimo em inglês para Radio Frequeny Over Glass. Com esta tecnologia, a fibra ótica chegará até usuários finais, utilizando a infraestrutura já existente em cabos e receptores, melhorando significativamente a qualidade do conteúdo transmitido.
Existem vantagens desta nova tecnologia tanto para usuários finais quanto para as operadoras de cabo. Os primeiros ganharão com sistemas mais baratos para transmissão de dados e com muito mais qualidade e velocidade. Os últimos saem ganhando porque será possível utilizar toda a infra-estrutura existente atualmente para levar a fibra ótica ao usuário, reduzindo ainda mais os custos.
As operadoras fixas também não ficam para trás, pois este serviço permitirá uma sobreposição da transmissão de vídeos compatível com o GPON (Gigabit Passive Optical Network) e com isso será possível aliar serviços de transmissão de vídeos em altíssima qualidade e banda ultralarga a preços mais razoáveis.
Leia mais sobre fibra ótica em O que é fibra ótica?
E como tudo isso funciona?
A RFoG utiliza o padrão DOCSIS (Data Over Cable Service Interface Specification), um sistema utilizado em transmissões a cabo, principalmente para acesso à internet, ou seja, o mesmo sistema presente atualmente em locais com acesso à televisão e internet banda larga via cabo. Então, o que a RFoG faz é interpretar sinais elétricos e convertê-los para sinais óticos, capazes de transmiti-los via fibra ótica.
Tudo isso, combinado à tecnologia híbrida fixa/coaxial (HFC) e também às novidades de fibra ótica até residências (Fiber to the premises, FTTP) permite mais qualidade e baixos custos para as operadoras. Essa diferença será repassada aos consumidores.
Vantagens e consequências
Já citamos anteriormente algumas das principais vantagens desta nova tecnologia: preços mais acessíveis para os usuários, maior qualidade e velocidade nas transmissões de vídeo e conexão via banda ultralarga. Além destas, podemos falar ainda sobre novos nichos de desenvolvimento a partir desta tecnologia, como por exemplo mudanças em operadoras de TV a cabo.
Com esta tecnologia seria muito mais barato transmitir vídeos em alta definição diretamente para dentro de sua casa, sem que para isso você precise pagar algo a mais na mensalidade de sua assinatura. Outro fator que possivelmente sofrerá alterações benéficas para todos será o dos serviços de internet banda larga, pois finalmente seria possível uma rede ampla e barata de fibra ótica, proporcionando super velocidades a preços bem mais acessíveis.
Um bom caso da aplicação de fibra ótica à serviço da banda ultralarga é o Japão, onde usuários domésticos já podem ter acesso à internet de 1 Gbps pagando cerca de R$115 mensais. Claro que é muito cedo para falar em algo assim aqui no Brasil, mas quem sabe um dia ainda não veremos supervelocidades por todo o país a preços acessíveis, não é mesmo?
Leia mais sobre conexão com a Internet em:
A história da conexãoUltra Banda Larga: A velocidade do futuro disponível no presente
Além destas vantagens, um sistema que utilize a RFoG demandará menos manutenção, pois estará livre de problemas típicos de redes convencionais, afinal, o sistema não terá nada de metálico. Isso quer dizer que ferrugem, umidade e corrosões galvânicas passaram longe desses cabos. É claro que eles não são indestrutíveis, mas segundo alguns especialistas, a RFoG demanda 90% manutenção se comparada a uma rede HFC convencional.
Outro ponto positivo será a facilidade de implantação desta tecnologia em locais menos densos, como por exemplo residências rurais, que normalmente sofrem com a falta de acesso à internet.
Limitações?
Se por um lado tudo parece vantagens, especialistas apontam como desvantagens o alcance das redes para envio e recebimento de pacotes da internet. O sistema RFoG utiliza um diodo a laser para funcionar, um dispositivo chamado Fabry-Perot (FP), e ele acaba por limitar pesadamente o alcance das redes (cerca de 10-20 KM). E também, caso você vá assistir a algum filme ou canal em sua TV a cabo, terá que aguardá-lo ser carregado pelo receptor.
Além disso, o uso de RFoG em larga escala dependerá de várias redes de fibras, 8 para cada 256 pontos de acesso, pois cada fibra é capaz de dar conta de apenas 32 pontos. Outro problema é quanto ao caminho de retorno para comunicações bidirecionais que, diferentemente de redes HFC, simplesmente não existem. Aqui, para que os receptores domésticos possam se comunicar com seu emissor, o retorno estará localizado no micro nó recém-instalado na rede.
Futuro
Nem bem o RFoG chegou e já se fala em seu substituto, que seria o RFPON (rede ótica passiva por radiofreqüência) que pretende superar as limitações presentes no RFoG. Seus estudos pretendem desenvolver uma rede com maior alcance, redes bidirecionais e muito mais. Tudo isso utilizando as mesmas redes do RFoG, ou seja, quando esta novíssima tecnologia estiver disponível, mais uma vez os custos para sua implementação serão mínimos!

Read More »»

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Acelerando o Windows Vista

. sexta-feira, 21 de agosto de 2009
0 comentários

Por Ana Paula Sedrez de Souza


Um tutorial para deixar seu Windows Vista mais rápido

O Windows Vista trouxe um visual mais elegante e moderno para seu computador, porém, devido à grande demanda de memória RAM para seu funcionamento, as vezes ele pode tornar-se lento e a tarefa de esperar seu processamento poderá ser deveras cansativa para o usuário.

Segue, abaixo, algumas dicas que poderão proporcionar uma otimização para seu Sistema, de forma a deixá-lo mais ágil.

Primeiramente, vamos começar com uma faxina.

Uma forma de manter o computador mais rápido, sem dúvida é limpando o lixo. Existem pastas dentro do Sistema que contém arquivos que podem ser excluídos com certa segurança, são elas:

A pasta de Histórico de navegação na internet, normalmente aparece no diretório como “History” ou “Histórico”. O local no qual são armazenados os arquivos temporários da internet, “Temporary Internet Files”.

Limpando os temporários


A Pasta de Temporários, contendo normalmente arquivos com terminação .TMP e pastas temporárias utilizadas por algum programa para atualização, instalação, etc.. Costuma ser exibida como “Temp” ou “temp”.

Continuando a limpeza.

O Windows dispõe de uma ferramenta que pode fazer uma boa faxina em arquivos que foram armazenados para alguma finalidade, porém, agora não são mais de extrema serventia. Para acessá-la, entre no menu “Iniciar”, “Todos os Programas”, “Acessórios”, “Ferramentas do Sistema” e selecione “Limpeza de Disco”.

Feito isto será aberta uma janela na qual você deverá escolher o Disco Rígido ao qual a funcionalidade será aplicada. Selecione as opções contidas (exceto alguma que julgue por bem manter como está), confirme a operação clicando no botão “Ok” e aguarde o programa ser executado.

Limpando o disco!

Agora, vamos para as desinstalações.

O Windows Vista traz muitos opcionais que podem ser desinstalados para liberar a memória e, portanto, deixar seu computador mais rápido, bem como é sempre recomendado desinstalar programas que não são usados, pois eles ocupam espaço e podem interferir de alguma forma na velocidade de carregamento de outros programas em seu computador.

Desinstalar programas não utilizados.

Para esta tarefa é recomendada certa cautela e escolha criteriosa para evitar posteriores inconvenientes. Será necessário acessar o menu “Iniciar”, e “Painel de Controle”. Feito isto, entre em “Programas” e “Alterar ou Remover um Programa”. Aqui serão listados todos os programas instalados e são detalhadas informações sobre eles.

Desinstalando programas não utilizados.

Verifique se há programas não usados e utilize a ferramenta de desinstalação. Não esqueça de apagar as pastas dos programas desinstalados.

Desinstalando ou Desativando Opcionais do Windows Vista

A barra lateral do Vista consome uma boa fatia de memória e pode ser desativada clicando com o botão direito do mouse nela e escolha “propriedades”. Depois desmarque a opção: Iniciar Barra Lateral quando o Windows for iniciado. Para fechar a barra ainda nesta utilização, botão direito do mouse sobre ela e “Fechar barra lateral”.

Desativando a Barra lateral e os Arquivos Offline

O recurso chamado de Arquivos Offline, vem por padrão habilitado e é útil para quem trabalha em rede corporativa, permitindo acessar os arquivos mesmo estando fora da rede. Para a maioria dos usuários, porém, é inútil e pode ser desabilitado. Pelo menu “Iniciar” e “Painel de Controle”, escolha o ícone Arquivos Offline e desabilite-o. Será preciso reiniciar o computador para que a nova configuração tenha efeito.

Apesar de ser um dos recursos mais úteis do Windows Vista, o sistema de busca integrado deixa o sistema pesado devido a muitos componentes que agem em segundo plano. Esse sistema é integrado ao antigo MSN Desktop Search e com ele é possível indexar todos os arquivos do seu HD para acesso rápido, inclusive, pesquisando o conteúdo dentro de arquivos. O problema é que ele consome bastante recursos do computador.

O sistema de busca pode ser restringido e para isso acesse o menu “Iniciar”, e “Painel de Controle” e “opções de indexação”. Clique em “Avançado” e escolha os arquivos que o Windows irá indexar para que suas buscas fiquem mais rápidas. Também é possível desabilitar completamente para economizar memória, mas cabe lembrar que remover a indexação do Vista vai melhorar o desempenho, mas piora a eficiência da ferramenta de busca.

Configurando a indexação



Um dos recursos da interface Aero do Vista, faz com que ao colocar o mouse em cima das janelas minimizadas na Barra de Tarefas seja exibida uma “miniatura” da janela completa. Apesar de interessante este recurso consome uma boa quantidade de memória e você pode desabilitá-lo com segurança. Para isto, clique com o botão direito do mouse em cima da barra de tarefas, entre em “Propriedades”, na guia “Barra de Tarefas” e desmarque a opção: “Mostrar Visualizações de Janela (miniaturas)”.

Desativando exibição de miniaturas


Apesar de deixarem o visual mais moderno, os recursos da interface aero do Vista podem deixar seu computador mais lento. Para desabilitar esses efeitos, acesse o menu “Iniciar”, “Configurações” e “Painel de Controle”, então “Sistema”, aba “Configurações Avançadas” e depois “Avançado”. Agora, na parte de Performance, clique em “Configurações” e marque a opção de Ajustar para melhor performance.

O visual do seu Windows Vista irá mudar radicalmente, ficando parecido com o 98 (lembrando que esse processo pode ser revertido). Para desabilitar apenas os efeitos do Glass (recurso da interface aero), veja este tutorial.

Agora as otimizações

Em seu modo padrão, o Vista não configura seu disco rígido para funcionar deforma otimizada e é preciso configurar manualmente. Para isso acesse o menu “Iniciar”, e “Painel de Controle”, clique em “Sistema” e “Gerenciador de Dispositivos”. Entre nas propriedades do disco rígido e marque a opção de habilitar “Ativar Desempenho Avançado”.

Melhorando o Desempenho

Este recurso melhora o acesso ao cache de disco, porém se houver alguma interrupção no Sistema (como uma queda de energia elétrica ou desligamento abrupto), você pode perder os dados mais facilmente. Caso opte por esta configuração é sugerido que se use um no-break.

Você pode utilizar a ferramenta para Gerenciar programas de inicialização e por meio dela é possível desativar os programas que são carregados durante o BOOT, liberando mais memória para outros aplicativos. Para acessar entre no menu “Iniciar”, “Configurações”, “Painel de Controle” “Sistema e Manutenção” e “Informações e Ferramentas de Desempenho”, “Gerenciar Programas de Inicialização”. Porém recomenda-se cautela ao desativar qualquer uma das opções para evitar inconvenientes futuros.

configurando programas de início


Caso deseje, também é possível ajustar as Configurações de Energia do Sistema que, por padrão, o “plano de energia” depois da instalação do Windows Vista é mediano. Você pode mudar para “Alto Desempenho” para obter uma maior velocidade, porém este recurso consome uma quantidade maior de energia elétrica. Para acessar este recurso, entre no menu “Iniciar”, “Configurações”, “Painel de Controle” “Sistema e Manutenção” e “Informações e Ferramentas de Desempenho”, “Ajustar as configurações de energia”.

Gerenciando configurações de energia



Para aumentar o desempenho do processador, você pode fazer ajustes de paginação e configuração da distribuição da memória RAM do computador. Para isto, veja este tutorial.

Outra coisa que pode ser feita é rearranjar a fila de processos do Windows, definindo prioridades diferentes ou até mesmo encerrando um deles. Para ter acesso a eles, clique com o botão direito do mouse na barra de ferramentas do Windows, e em “Gerenciador de Tarefas”.

Em seguida clique na aba “Processos”, clique sobre o processo desejado e em “definir prioridade”, para aumentar ou diminuir prioridades ou “finalizar processo” para encerrá-lo. Aqui cabe esclarecer que este procedimento pode ser perigoso e deve ser feito com muita cautela, pois pode causar travamentos ou outros problemas ao sistema.

Redefinindo Prioridades



Juntando os cacos


Após todas essas alterações feitas em seu computador, é necessário fazer uma desfragmentação de disco, para que o Sistema possa organizar seus arquivos. Este é um procedimento simples, porém requer algum tempo com o computador parado para que seja realmente efetivo seu resultado. Acesse o menu “Iniciar”, “Todos os Programas”, “Acessórios”, “Ferramentas do Sistema” e “Desfragmentador de disco”. Então basta selecionar “Desfragmentar agora..” e esperar que o sistema faça seu trabalho.

Finalmente, a desfragmentação



Existem, ainda, alguns programas que podem ajudá-lo nesta tarefa, como o CCleaner, que pode auxiliar tanto na tarefa de limpeza, quanto fazer uma faxina nos registros que não são mais utilizados no computador, além de contar com uma ferramenta de desinstalação de programas – tudo no mesmo aplicativo.

CCleaner fazendo seu trabalho


Algumas das alterações propostas neste tutorial podem modificar radicalmente seu computador (especialmente aquelas relacionadas a aparência) e sempre é recomendado criar um Ponto de Restauração, para caso algo não saia conforme o desejado, seja possível voltar atrás de uma maneira fácil e com o menor coeficiente de insatisfação possível. Também, é sempre uma boa idéia monitorar o seu sistema para verificar se os efeitos trazidos por alterações foram satisfatórios.


Read More »»

Nero: como gravar CDs de áudio

.
0 comentários

Para começar, como não poderia ser diferente, vamos analisar e explicar o recurso mais utilizado do Nero: como gravar um CD de áudio. Ótimo tutorial para vocês!

Gravando CDs de áudio com o Nero

Sempre quando o Nero é iniciado, um assistente para a criação de uma nova compilação é aberto. Aqui, você escolhe que tipo de gravação deseja fazer (áudio, dados, vídeo, cópia, etc.) e também define algumas configurações básicas para cada tipo de compilação. Use o pequeno menu para escolher entre gravar um CD ou DVD e clique sobre o ícone CD de Áudio. Observe cada aba disponível para definir algumas configurações básicas de sua gravação.

Atente para o menu de CD e a opção de CD de áudio.

Aba CD de Áudio

Nesta aba, você encontra as seguintes opções:

“Normalizar todos os arquivos de áudio” — marcando esta opção, o Nero vai igualar o volume de todas as faixas. Isto é útil, por exemplo, quando você quer gravar um CD com músicas de origens diferentes.

“Sem pausa entre as faixas” — marque esta opção para não deixar espaços entre uma faixa e outra. É aquela contagem regressiva em segundos entre uma faixa e outra.

Mais abaixo, é possível escrever informações de texto em sua gravação. Para começar, marque a opção“Gravar no CD” para adicionar estas informações à sua gravação e insira o nome do artista e o título do CD.

Comece a inserir informações básicas sobre sua gravação.

Mais abaixo, você pode complementar essas informações com direitos autorais, nome do produtor da compilação e código UPC/EAN. Essas são as siglas para Universal Product Code (Código Universal de Produto) e European Article Number (Número Europeu de Artigo). Ambos são códigos de barra que identificam um produto. Neste caso, a mídia. Para finalizar esta parte, há também os campos "Data" e "Comentários".

Informações adicionais sobre a compilação.

Aba Opções de CDA

Esta aba fornece opções para a configuração avançada de como o Nero deve trabalhar com determinados arquivos de um CD. São quatro padrões à sua escolha:

“Modo de arquivo temporário”: salva as faixas de áudio no cache do Nero e exibe uma mensagem caso não haja espaço suficiente.

“Modo referência”: não armazena nenhuma faixa em cache, apenas cria uma referência e faz a leitura pouco antes da gravação. A unidade de origem não pode ser um gravador de CD ou DVD e o disco só pode ser gravado no modo Track-at-once (o qual você vai ver mais abaixo).

“De acordo com o leitor”: cria uma referência para as faixas, mas caso uma unidade esteja disponível.

“De acordo com o espaço em disco”: salva a faixa do CD original no cache do Nero. Caso não haja espaço suficiente, uma referência é criada e tal faixa será lida antes de sua gravação. Esta opção é escolhida por padrão.

Abaixo, são exibidos os drives de leitura identificados. São indicados a letra correspondente ao drive, o nome dele e a velocidade de gravação. Em “Velocidade de leitura”, é possível escolher a velocidade que o CD de origem deve ser lido. Quanto mais alta for essa velocidade, mais rápido o processo fica, mas podem acontecer alguns erros. Recomenda-se usar velocidades altas somente com leitores novos e que funcionam corretamente. Para que você se baseie, a velocidade máxima de leitura que o drive comporta é exibida também.

Também é possível marcar a opção “Fazer cache no disco rígido antes de gravar”. Isto vai fazer com que os arquivos extraídos sejam salvos em seu computador antes da gravação. Por último, e para dar um toque à sua gravação, marque a opção “Remover silêncio no fim das faixas de áudio”. Isso acaba com aquela contagem regressiva em segundos entre uma faixa e outra, gerando transições rápidas e agradáveis entre as músicas.

Informações e configurações para a

A aba Gravar

Na última aba desta tela, “Gravar”, a primeira opção que você encontra é “Determinar a velocidade máxima”. Ao marcar esta opção, o Nero vai executar um teste de velocidade que vai determinar quão rapidamente os arquivos de uma compilação podem ser acessados. Caso essa velocidade de acesso seja menor que a velocidade de gravação, então esta última é reduzida para evitar falhas na gravação. Vale o lembrete: não é necessário utilizar este teste quando o drive utilizado tem proteção contra mau uso de buffer.

Outra opção que você pode marcar é somente simular uma gravação. Uma simulação executa todos os passos de uma gravação, mas não ativa o laser do drive. Dessa maneira, caso tudo ocorra corretamente, você tem a garantia de que o processo de gravação “pra valer” não terá problemas.

A opção “Gravar disco” parece óbvia, mas não se engane. Este recurso inicia o processo físico e definitivo de gravação. Caso seja interrompido, uma mídia pode ficar inútil. Somente gravadores com proteção de buffer podem resumir uma gravação interrompida.

A caixa “Finalizar disco (Nenhuma gravação adicional será possível)” finaliza a sessão de gravação do CD, ou seja, não será possível retomar a gravação e adicionar faixas à compilação. Pouquíssimos aparelhos são capazes de ler CDs de áudio não finalizados. Logo, é recomendado marcar esta opção sempre. Esta é uma opção que deve ser mais utilizada com CDs de dados e CDs regraváveis, para que você adicione arquivos sem precisar apagar uma mídia. No entanto, em um CD de áudio, não há razões para utilizar esta opção.

A última opção desta parte, “Verificar dados gravados”, executa o CD logo depois de gravado. Assim você já começa a curtir sua gravação e se assegura que tudo correu bem.

Dependendo das características do seu drive gravador, nem todas as opções são disponibilizadas.

Antes de passar à próxima etapa, ainda há algumas opções para configurar. A primeira delas é o método de gravação, que pode ser:

"Disc At Once" – a mídia é gravada em uma “tacada”, sem desativar o laser do drive.

"Track At Once" – cada faixa é escrita individualmente, o que significa que o laser é desligado a cada faixa gravada.

Você ainda pode determinar o número de cópias que deseja gravar, além de escolher utilizar mais de um drive gravador, caso você tenha.

Defina o método de gravação e o número de cópias.

Espere, ainda tem mais!

Depois de ajustar as configurações básicas, clique em “Novo” para avançar à tela de seleção de arquivos. Caso a janela para navegação de arquivos não seja aberta, acesse o menu “Exibir” e marque a opção“Navegadores”.

Ative a exibição dos navegadores sem mistério algum.

Você também pode fazer isso clicando no botão “Navegadores”, que se encontra na área de ferramentas.

Atalho fácil para a exibição dos navegadores.

Adicionar arquivos à sua gravação é bem simples. Basta selecioná-los e arrastá-los até o menu à esquerda da tela. Preste atenção na parte de baixo da tela, onde há uma barra que indica o quanto já foi usado e o quanto está livre em seu CD.

Preste atenção ao indicador de capacidade da mídia.

Outra maneira de adicionar arquivos à sua gravação é clicar com o botão direito sobre eles e clicar em “Copiar para a compilação”.

Mais um atalho para adicionar arquivos à compilação.

Ainda é possível adicionar arquivos sem a necessidade do navegador do Nero. Basta acessar o menu “Editar” e clicar em “Adicionar arquivos”.

Ainda outra opção para adicionar arquivos.

Depois que você adicionou todos os arquivos desejados, o navegador pode ser fechado e você pode trabalhar em uma área menos poluída. Agora, você já pode gravar sua compilação, bastando clicar no botão “Gravar”, na barra de ferramentas. Esta opção também está acessível no menu “Gravadora”.

Calma que tem mais!

Antes de gravar, ainda é possível trabalhar sua compilação e deixá-la do jeitinho que você quer, quase profissional. Ainda mais por se tratar de uma compilação de áudio. Acessando a opção “Propriedades da Compilação”, do menu “Arquivo”, você volta para a aba de áudio e pode alterar as informações básicas de sua compilação.

Clicando com o botão direito sobre os arquivos em seu CD e escolhendo a opção “Propriedades”, muitas configurações podem ser alteradas nos arquivos, a começar pelas informações de cada faixa. Na aba“Propriedades da Faixa”, insira o nome da música, o artista, defina uma pausa específica entre ela e a faixa anterior e até escolha se deve haver transição entre elas.

Defina a pausa para essa faixa e outras características.

A aba “Índices, Limites, Divisão” oferece opções para a edição de áudio. Aqui, você visualiza o arquivo como um osciloscópio, e pode marcar os pontos específicos dele para editar. Veja o que você pode fazer:

“Novo índice”: determina um novo índice para o arquivo. Para o tocador, este é o ponto em que uma música começa e tal tocador pode pular diretamente para este ponto.

“Editar”: abre a janela de edição de transição, onde você determina o ponto preciso dela.

“Excluir”: deleta um índice ou a marcação para a transição de uma faixa.

“Dividir”: divide um arquivo em duas faixas separadas na posição indicada.

“Reproduzir”: toca o arquivo de áudio da posição indicada.

“Interromper reprodução”: para a execução.

“Dividir nas posições de índice”: divide o arquivo nas posições determinadas.

“Mais zoom” e "Menos zoom": aumenta ou diminui a representação gráfica do arquivo.

“Tudo”: ajusta o gráfico à tela de exibição.

Dê uns

Há ainda a aba "Filtros", que exibe diversos efeitos que podem ser aplicados à faixa. São eles:

“Normalizar” - onde você pode definir o volume da faixa a um nível específico.

“Remover cliques” - para remover cliques e outras falhas, comuns em discos de vinil, por exemplo.

“Redução de ruído” - reduz todas as frequências abaixo de certo nível.

“Fade in” e “Fade out” - para diminuir gradualmente o volume da faixa.

“Expansão estéreo” - aumenta o efeito estéreo.

“Karaokê” - que remove a voz de uma faixa.

“Eco” - para configurações de reverberação.

“Equalizador” - para que você modifique certas frequências.

Uma série de filtros que fazem do Nero muito mais do que somente um gravador.

Através do botão “Testar filtros selecionados”, é possível ouvir como fica o resultado antes de aplicar tal filtro no arquivo. Há ainda mais uma opção para quem entende de editores de áudio deixar os arquivos do jeito que desejam.

O Nero conta com um editor de áudio que pode ser acessado através do próprio gravador. Basta clicar com o botão direito sobre um arquivo e clicar em “Editor de Áudio”. Dentro do programa, é possível gravar sons, aplicar efeitos e outras ferramentas que envolvem a edição de áudio.

Um editor de áudio muito funcional para o Nero.

Agora que você ajustou os arquivos da maneira que quer, pode gravar um CD mais estilizado e com aspectos profissionais. Para salvar sua compilação, acesse o menu “Arquivo” e a opção “Salvar”. Agora, sim, você pode clicar em “Gravar” para registrar sua compilação.

Read More »»

Dicas do Vista: adicione mensagens na tela de logon

.
0 comentários

Por Felipe Gugelmin


Transmita facilmente recados, exibindo-os durante o logon do sistema

Transmitir recados, orientações ou termo de uso do sistema para o usuário pode ser uma tarefa difícil. Recados escritos em papel são fáceis de perder, e alterar o papel de parede da área de trabalho, ou exibir um arquivo de texto automaticamente quando o Windows é iniciado são alternativas não muito elegantes.

O Windows Vista permite ao usuário configurar a exibição de mensagens automaticamente durante o logon do sistema, antes da tela de Boas-Vindas. Dessa forma, todos os usuários que acessarem o computador terão acesso fácil às informações que se deseja transmitir. Para isso, são necessários alguns passos simples, que envolvem acessar suas diretivas de segurança local.

Atenção: Alterar certas informações na diretiva de segurança pode causar mau funcionamento do sistema. Então é importante seguir os passos desse tutorial exatamente como demonstrado.

Somente as versões Business, Enterprise e Ultimate do Vista possuem o “Editor de Diretiva do Grupo Local”. Portanto, este artigo deve ser adaptado para as demais versões do sistema.

Configurando a exibição de mensagens

1.Clique no botão Iniciar e digite “diretiva” no campo de pesquisa. Em seguida, clique no resultado que será exibido, conforme a imagem abaixo

Diretiva de segurança local

2. Será exibida a tela de segurança do Controle de Usuário caso o Controle de Conta do Usuário (UAC) esteja ativo. Clique em Continuar.

Controle de usuário

3. Será aberta a janela da Diretiva de segurança local

4. Expanda o item “Diretivas locais” e selecione “Opções de segurança”, conforme a figura abaixo.

Opções de segurança

5. No quadro da direita, localize as opções “Logon interativo: texto de mensagem para usuários tentando fazer logon” e “Logon interativo: título da mensagem para usuários tentando fazer logon”.

Logon interativo

6. Em seguida, clique com o botão direito na opção “Logon interativo: texto de mensagem para usuários tentando fazer logon” e selecione a opção Propriedades.

Clique em Propriedades

7. Na janela que abrir, digite o texto que deve ser exibido durante o logon do Windows Vista. Não se preocupe, pois não há limite para o número de caracteres inseridos. Quando terminar, clique em OK.

Texto de mensagem para usuário

8. Repita o passo 6, dessa vez selecionando o item “Logon Interativo: título da mensagem para usuários tentando fazer logon”. Na janela que abrir, digite o título do texto digitado no passo anterior. Quando terminar, clique em OK.

Título da mensagem

9. Note que na janela “Diretiva de segurança local”, no campo “Configuração de segurança”, serão exibidos os textos que você digitou, conforme demonstrado pela figura abaixo.

Detalhe do campo Configuração de segurança

10. Pronto! Agora basta fechar a janela de “Diretiva de segurança local”. De agora em diante, toda vez que você iniciar o sistema, a mensagem configurada será exibida. Para fazer alterações ou configurar uma nova mensagem, basta seguir novamente os passos desse tutorial.


Read More »»

GIMP: coloque clips de papel nas suas fotos!

.
0 comentários


Insira detalhes na sua foto para deixá-la mais bonita e treinar suas habilidades no GIMP!

Muitas vezes queremos fazer algo diferente nas fotos, mas saber o que é este “algo diferente” é um pouco complicado, não? Pois então pense em fazer algo novo e bem simples: coloque um clipe de papel na sua foto! Complicado? Esta é a única palavra que não serve para este tutorial! Portanto, separe as fotos que você quer usar e os seus clips que já vamos começar! Já abriu seu GIMP? Não? Então não perca mais tempo! Inicie-o agora e vamos lá! Lembrando que este tutorial é voltado aos usuários iniciantes do GIMP.

Primeiro de tudo, vamos listar aqui o que você vai precisar para este tutorial. É importante que você tenha alguns clips de papel em casa e uma câmera com uma qualidade razoavelmente boa. Pegue uma folha de papel sulfite branco, coloque os clips sobre ela e tire uma foto. Quanto menos clips, melhor. Ficará mais fácil selecionar cada um deles. Aqui, tiramos a foto de um clip apenas para facilitar.

Depois de ter passado a foto para o seu computador e abri-la no GIMP, use a Ferramenta de Seleção Livre para contornar o clip. Agora, tecle CTRL + X no seu teclado para recortar a seleção. Feito isso, vá para a foto que você quer colocar o clip e pressione CTRL + V.

Observe que o clip ficou maior do que deveria. Para reduzir o tamanho dele, usaremos a Ferramenta de Redimensionar. Deixe-o de um tamanho proporcional à imagem e mova-o com a Ferramenta de Movimento.

Agora que a imagem do clip já foi inserida, você pode girá-la para dar um efeito de clip colocado à mão. Use a Ferramenta de Rotacionar para fazer isto. Cuidado para não exagerar na inclinação, afinal, quanto maior o exagero, mais artificial a imagem fica.

Com o clip já inclinado é hora de fazer parecer que ele está realmente segurando a sua foto. Use a Borracha para apagar a parte interna do clip.

Pronto! O seu clip já está colocado na imagem! Você pode repetir este procedimento quantas vezes quiser e em quantas fotos achar que fica interessante! Veja como ficou a nossa imagem:

Como pode ver, utilizamos uma borda na foto e colocamos uma sombra para dar volume à imagem. Assim, ela fica destacada neste fundo colorido. Você pode trabalhar com efeitos que complementem a sua imagem para que ela fique mais bonita. É interessante usar elementos que deem um contexto ao clip inserido na sua foto editada! Lembre-se de tomar cuidado com os excessos; eles podem transformar a sua imagem em um amontoado de efeitos sem sentido!


Read More »»

Dicas do vista: transforme suas pastas em verdadeiros álbuns de fotos

.
0 comentários

Por Elaine Martins da Silva


Com poucos cliques você transforma as pastas do Windows Vista em álbuns de fotos.

O Windows Vista foi um dos sistemas operacionais mais comentados do mercado, devido toda a revolução de interface que ele apresentou quando na época de seu lançamento. A quantidade de recursos visuais e de imagem que o sistema possui é enorme, tudo para conquistar os usuários pelos olhos.

Apenas alterando algumas configurações de visualização é possível criar diversos efeitos e opções no Windows Vista, o que em outros sistemas operacionais não é possível fazer com tanta facilidade.

Este tutorial vai ensinar aos usuários do Windows Vista como transformar as pastas de imagens em verdadeiros álbuns de fotos, extraindo o que há de mais belo de cada imagem. São apenas alguns passos. Vamos lá?!

Hora de seguir os passos

1) Primeiramente, acesse a pasta na qual você armazena suas imagens e fotos.

2) Agora, clique com o botão direito do mouse em uma região livre da pasta e escolha a opção“Propriedades”.

Cuidado para não clicar sobre nenhuma foto, pois assim você estará acessando as propriedades da imagem, e não da pasta, como deve ser.

3) Na janela de propriedades que aparecer, acesse a aba “Personalizado”. Na sessão “Que tipo de pasta você quer usar?” de preferência por “Imagens e Vídeos”.

4) Para finalizar esta primeira sequência de passos, clique em “Aplicar” e depois em “Ok”.

5) Pressionando a tecla “Alt” do seu teclado é possível visualizar o menu clássico do Windows, com as boas e velhas opções: Arquivo, Editar, Ferramentas, etc. A opção de nosso interesse é a “Exibir”, portanto selecione-a e clique em “Ocultar Nomes de Arquivo”.

6) Está quase acabando. O último passo é alterar o modo de exibição da pasta. Para isso, selecione a opção “Modos de exibição” e escolha o item “Ícones Extra Grandes”.

Prontinho! Em apenas seis passos você tem uma forma elegante de exibir suas imagens. O melhor de tudo é que não foi preciso alterar nenhum arquivo do registro, biblioteca do sistema ou configurações do gênero. Este rápido tutorial vai ficando por aqui. Não deixem de comentar o que acharam do novo “visual” da pasta!


Read More »»

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Windows 7: tudo o que você sempre quis saber!

. terça-feira, 11 de agosto de 2009
0 comentários

Por Luísa Barwinski


Com o lançamento do novo sistema operacional da Microsoft chegando, várias perguntas são feitas. Agora é hora de respondê-las! Descubra o que você sempre quis saber sobre o Windows 7!

A proximidade do lançamento e os vários boatos em torno do novo sistema operacional da Microsoft geram as mais diversas dúvidas. Entretanto, algumas delas podem ser encaradas como mitos e outras, bastante verdadeiras. Por isso, o Baixaki se antecipa e responde às perguntas dos usuários sobre o Windows 7 e algumas das suas principais funcionalidades.

Neste “ping pong” você ficará conhecendo mais sobre o sistema operacional e poderá julgar se ele é ou não ideal para as suas necessidades! Preparado? Então acomode-se na cadeira e conheça detalhes do novo Windows.

O que é?

Se você ainda não ouviu falar, o Windows 7 é a mais nova versão do sistema operacional da Microsoft. Com ele, vêm algumas mudanças substanciais no modo de se enxergar o sistema líder em vendas. Os elementos visuais que já sofreram várias mudanças na versão Vista, agora estão totalmente diferentes no Windows 7. As barras estão mais cristalinas e os ícones estão em evidência maior.

Novo sistema operacional da Microsoft chega em 2009!

As primeiras impressões obtidas com o sistema foram bastante positivas e muito foi investido no aspecto visual. O modo de gerenciamento de telas está mais bonito e fácil. Basta passar o mouse sobre a aplicação desejada para visualizar as diferentes telas ou abas, no caso dos navegadores.

Outra novidade interessante do Windows 7 é a integração com as telas sensíveis ao toque. Como já pudemos perceber, a tecnologia touchscreen chegou para ficar e o sistema operacional deve ser compatível com o hardware para que tudo funcione corretamente. Por isso, não haverá nenhum problema com a adaptação – o Windows 7 está pronto para receber as pontas dos seus dedos.

Quando o Windows 7 chega ao mercado?

Outubro é o mês escolhido!De acordo com o anúncio feito pela Microsoft, o lançamento oficial do Windows 7 está agendado para o dia 22 de outubro de 2009 também para o Brasil. Entretanto, a intenção de lançar em território nacional é exatamente igual àquela que será distribuída na Europa. A proposta do Windows 7 "E" foi recusada pela Microsoft, que já havia adequado o sistema operacional para a exigência de uma lista de navegadores ao invés de disponibilizar apenas o Internet Explorer 8.

O que foi o Windows 7 "E"?

A versão européia, sem o IE 8 foi cancelada.Vender um produto em conjunto com outro a fim de conquistar uma parcela do mercado pode ser encarado como uma ação de truste. Os trustes são vistos com maus olhos e são ilegais, uma vez que pretendem manter uma fatia dominante do mercado para si, dificultando a livre concorrência entre empresas, marcas e serviços.

Por isso, a Comissão Europeia estabeleceu que o novo Windows deveria ser comercializado em território europeu sem o Internet Explorer. Dessa maneira, o usuário é livre para escolher o navegador que quiser e não será “obrigado” a comprar os serviços de um navegador o qual ele não faz uso.

O Windows Vista passou por uma situação semelhante também na Europa. Foi necessário comercializar uma versão sem o Windows Media Player e outros recursos audiovisuais ou ligados à reprodução multimídia. A versão diferenciada chamava-se Windows Vista "N".

Quais serão as versões? Quanto cada uma irá custar?

Ao contrário do que muitos esperavam, o Windows 7 terá várias versões – precisamente, serão 6. Agora sem a versão europeia do sistema operacional, a contagem tem versões exclusivas para países da América Latina, Ásia e África. A explicação encontrada por Mike Ybarra, gerente geral da Microsoft, é de que caso existisse uma versão única, seria muito mais complicado agradar ao bilhão de usuários do sistema. De maneira simples, podemos listar as versões da seguinte maneira:

  • Windows 7 Starter – pacote doméstico básico
  • Windows 7 Home Basic – pacote doméstico intermediário
  • Windows 7 Home Premium – pacote doméstico completo
  • Windows 7 Professional – pacote corporativo básico
  • Windows 7 Enterprise – pacote corporativo intermediário
  • Windows 7 Ultimate – pacote corporativo completo

Entretanto, se você preferir fazer upgrades das versões anteriores do sistema operacional, o preço é de US$50 dólares para as versões Home (Domésticas) e US$ 100, para as versões Pro (Corporativas). Para comprar os pacotes, você desembolsará US$ 119 em versões Home ou US$ 199 nas Pro. Não houve anúncio de preços em reais por parte da Microsoft – por enquanto, devemos esperar.

O sistema terá seis versões bastante específicas!

Vale a pena lembrar que só é permitido fazer upgrade a partir de versões inferiores ou iguais àquela que se pretende. Se você possui o Windows Vista Ultimate e deseja fazer o upgrade para o Windows 7 Home Premium, não conseguirá devido ao conflito de versões. O sistema de atualizações só funciona para versões inferiores ou iguais à que se pretende.

Todas as versões também serão vendidas através de pré-instalações em computadores.

Quanto o Family Pack, existe alguma previsão de lançamento no Brasil?


Não há previsão de lançamento do Family Pack no Brasil.

De acordo com a própria Microsoft, haverá sim um pacote do Windows 7 Home Premium que dá direito à instalação em até três computadores domésticos. Assim como as outras versões do sistema operacional, o Family Pack estará disponível para venda nos Estados Unidos e alguns outros países ainda não confirmados a partir do dia 22 de outubro. O preço estipulado para este pacote é de US$ 149 – ainda não houve divulgação de quanto este mesmo pacote custaria no Brasil tanto quanto se ele estará disponível para venda no país.

Quer saber mais?

Clique nos links para saber mais!O Baixaki já testou o Windows 7 em outras ocasiões e tirou diversas impressões a respeito dele. Portanto, se você quer algumas informações mais detalhadas a respeito do novo sistema operacional da Microsoft, por que não dar uma olhada em um dos nossos artigos? Há uma porção deles esperando por você! Veja abaixo alguns deles.

Enquanto isso...

Por que não aproveitar esse intervalo até o dia 22 de outubro para deixar o seu computador mais parecido com o Windows 7? Quer descobrir como? Clique aqui e acesse o artigo produzido pela Equipe Baixaki para você começar a transformar seu sistema operacional em Windows 7 – pelo menos no visual!

Outra opção é utilizar os temas para desktop que disponibilizamos no site. São diversas alternativas que você tem para iniciar a transformação! Veja algumas delas abaixo!

Read More »»
BuscaPé, líder em comparação de preços na América Latina
 

Central Blogs

Central Blogs